Glossário Básico da Comida Japonesa: descubra o significado dos principais termos usados cardápios

Glossário Básico da Comida Japonesa: descubra o significado dos principais termos usados cardápios

É aquela velha história: você gosta da culinária japonesa e conhece os pratos. No entanto, na hora de saber o que significa cada coisa, dá um branco… Não é mesmo?

Bem, antes de mais nada, saiba que isso é completamente natural. Os nomes dos pratos que compõem a culinária japonesa são palavras que fazem nenhum sentido no nosso idioma – daí a dificuldade de estabelecer as conexões entre os nomes, os pratos, os utensílios e insumos, etc. 

Mesmo com toda essa dificuldade, é importante que você saiba é que a cozinha japonesa é um universo completo. E, realmente, é fundamental conhecê-la a fundo: os japoneses levam à sério os modos das pessoas durante as refeições, bem como a higiene e o correto uso dos objetos e da terminologia de seus pratos.

Por isso, não dá para fazer feio. E nós preparamos esse post para aqueles que querem abrir um restaurante e não querem passar aperto na hora de montar seu cardápio. Vamos lá?

Conheça os termos que mais aparecem nos cardápios de comida japonesa: 

CHAWAN: é uma tigela usada para preparar e beber caldos.  

GOHAN: arroz cozido, geralmente usado em sushis, em formatos de blocos.  

MIRIN: vinho de arroz de sabor adocicado usado para temperar grelhados ou cozidos e para preparar caldos e molhos.

HASHI: palitos usados para comer e servir à mesa. Geralmente, são de bambu e os de servir de madeira laqueada, coloridos e decorativos.

MISSÔ: é uma pasta preparada à base de soja fermentada, usada para temperar molhos, conservas, grelhados e frituras. 

NIGIRI: nome dado ao sushi feito a partir de um filete de peixe cru sobre o arroz. 

NORI: é a alga comprada seca, indispensável na preparação de determinados tipos de sushi. 

SASHIMI: fatias finas de peixe cru – obrigatoriamente fresco – servidos com shoyu. Podem ser cortado em fatias retangulares, em tiras, em cubos ou em lâminas finíssimas.

SAKÊ: vinho seco obtido da fermentação do arroz. Seu teor alcoólico varia de 15 a 17%. É uma bebida mas também utiliza-se em culinária como tempero em vários pratos. 

SHIITAKE: é o nome dado ao cogumelo marrom. Ele é usado em sopas, pratos cozidos no vapor e pratos preparados à mesa. Tem textura seca, sabor e aroma mais acentuado.

SHOYU: é um molho de soja obtido da fermentação da soja e trigo misturados em partes iguais. Tem um sabor e um aroma intensos que combinam muito bem com quase todos os ingredientes. 

SUDARE: esteirinha flexível de bambu usada para dar formato ao sushi. Apesar de poder ser feito à mão, o sushi moldado no sudare fica mais firme e uniforme e visualmente mais bonito e decorativo.

SUSHI: é o nome do prato mais tradicional da culinária japonesa. Consiste em arroz cozido em água e temperado com vinagre de arroz misturado com um pouco de açúcar e sal. Há dezenas de tipos de sushis, dependendo da maneira como são preparados, assim como uma infinidade de coberturas, recheios e acompanhamentos.

TEMPURÁ: é uma espécie de massinha frita obtido de ingredientes misturados (legumes e peixes) envoltos numa massa de consistência líquida – feita com ovo, água e farinha de trigo.

TERIYAKI: molho consistente preparado com shoyu, saquê (vinho seco de arroz), mirin (vinho doce de arroz) e açúcar, muito usado em grelhados aos quais dá uma cobertura glaçada e brilhante.

TOFU: é um queijo de soja rico em proteínas, cálcio e gorduras.

TEMAKI: é um tipo de sushi em formato de cone, com arroz, alga e peixe cru fatiado.  

UDON: macarrão grosso feito de farinha, bastante popular em sopas, caldos e pratos quentes da culinária japonesa. 

URAMAKI: outro tipo de sushi, enrolado de forma que a alga fique por dentro e o arroz por fora. 

KANI: é a carne de caranguejo, cuja carne é muito apreciada no Japão. Por ser cara, a carne de caranguejo pode ser substituída por kani no kamaboko, uma mistura de carne de peixe (pescada, por exemplo), fécula de batata, sal e açúcar, com corante e aromatizante de caranguejo, cozida e prensada sob a forma de rolinhos.

KOME: é o arroz cru, indispensável na preparação de vários pratos da cozinha japonesa.

WASABI: é a raiz-forte. Usada em molhos, sushi, sashimi, etc. Pode ser comprada crua, quando então deve ser ralada, em pó para ser dissolvida em água ou em pasta, pronta para uso.

Não erre os nomes dos pratos. Mas, acima de tudo, fique de olho nas regras de etiqueta…

MEIAS LIMPAS E BONITAS: quando for a um restaurante japonês, vista uma meia limpa e em bom estado. Nos estabelecimentos mais tradicionais, os anfitriões pedirão que você tire os sapatos para entrar.

RECEBER E AGRADECER: é costume dizer itadakimasu (que significa “eu humildemente recebo”) antes de começar uma refeição, e gochisōsama deshita (que significa “foi um banquete”) no término, aos funcionários do restaurante, na hora de ir embora.

RESPEITO AO CARDÁPIO: há uma regra de respeito ao cardápio do anfitrião. Por isso, é considerado ingratidão fazer pedidos fora do cardápio ou substituições nos restaurantes, especialmente em circunstâncias em que a pessoa é uma convidada, como em um jantar de negócios.

SIRVA O COPO DOS DEMAIS: antes de ingerir bebida alcoólica, espere o brinde. Não é costume servir a bebida a si próprio, pois as pessoas devem manter sempre cheios os copos uns dos outros. Quando alguém se move para encher o seu copo, você deve segurá-lo com as duas mãos e agradecer com a cabeça.

SEGURANDO HASHIS E CHAWAN: o gohan e o udon são comidos pegando-se o chawan com a mão esquerda e usando os hashis com a direita, ou vice-versa, se a pessoa for canhota. Os chawan podem ser levados até a boca, mas não devem tocá-la, exceto no momento de beber a sopa.

SEGURANDO O CHÁ: a maneira correta de beber o chá é segurar a caneca com uma mão e apoiá-la embaixo com a outra mão. Nunca se bebe chá japonês com açúcar ou creme.

USANDO O SHOYU: essa substância tem propriedades bactericidas. Por isso, deve ser usado para imersão de todos os ingredientes crus. Não desperdice o Shoyu, pois isso é considerado falta de respeito.

USO DOS HASHIS: nunca, sob hipótese alguma, utilize os hashis para perfurar os alimentos ou passar comida para o hashi de outra pessoa.

NÃO MORDA O SUSHI: ele deve ser comido de uma só vez, enfiando-o todo na boca. 

Se você gostou das nossas dicas, compartilhe com seus amigos e colegas de trabalho. A culinária japonesa merece ser conhecida, reconhecida e apreciada por todos, não é mesmo? 

Se você precisar de ajuda com os ingredientes dos pratos ou insumos e utensílios, é só entrar na nossa loja virtual e escolher os seus produtos.

Deixe uma resposta

ESQUECEU A SENHA?
Esqueceu sua senha? Por favor, digite seu nome de usuário ou endereço de email. Você receberá um link para criar uma nova senha por email.
Nós não compartilhamos seus dados pessoais com ninguém.
×

Carrinho